sexta-feira, 28 de agosto de 2015

SONATA AO LUAR

SONATA AO LUAR
Eri Paiva

Noite clara, translúcida, em céu de agosto,
Um violino, sob o luar, o silêncio irrompe...
Inebriada, uma lágrima desce-me no rosto,
Como se a advinhar quem algo me apronte

Seria um sonho? Não! Eras tu invadindo
A minh'alma, de ti, ainda enamorada!
Como se a flutuar, percebo-me sumindo
Naquela melodia saudando a madrugada!

Ao deixar-me envolver, mente e coração
Unidos, num pacto mais que convincente,
Levam-me à janela a ouvir uma canção
Que reconheço ser a nossa, tão somente:

- "Eu continúo aqui do jeito que era antes,
A cada anoitecer, te amando, te amando!"
Era um convite ao amor e, como dantes,
Em ti me perdi! Só Deus, sabe até quando!

Parnamirim/RN - Em 09. 08. 2015
Exibições: 33

Nenhum comentário:

Postar um comentário