quarta-feira, 23 de março de 2016

AS HORAS E EU



AS HORAS E EU
Eri Paiva
 
Olho, do relógio, a hora
Impiedosamente passando!
Coração vai relembrando,
Enquanto minh’alma chora,
Um amor que foi embora!
 
Chega o dia e a noite desce
Sem alegria ou prazer,
Sem vontade de viver...
O relógio que a hora tece
A zombar de mim, parece!
 
As horas não voltam, só vão
Levando, prá longe de mim
Aquele que me foi, enfim,
O amor deste meu coração,
Hoje entregue, à solidão!
 
Nossas horas?! Ah! Sabê-las,
Não quero, lembrá-las não vou!
Farei de cada lágrima e dor
Um caminho de estrelas
Em busca de um novo amor!
 
Em 17. 02. 2016
Natal/RN/Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário